Severidade do autismo pode decorrer de medo

A descoberta foi feita pelos Cientistas da Brigham Young University, nos EUA, descobriram que a dificuldade de crianças com autismo em lutar contra medos antigos está diretamente ligada à severidade dos sintomas….

A pesquisa ressalta a necessidade de ajudar as crianças com a condição a fazer transições emocionais, principalmente no que diz respeito ao medo.

As pessoas com autismo não experimentam ou compreender o mundo da mesma forma que fazemos. Uma vez que eles não podem mudar as regras no cérebro, e muitas vezes não sabem o que esperar do meio ambiente, precisamos ajudá-los a planejar com antecedência o que esperar”,afirma o pesquisador Mikle South.

Entenda como a descoberta no experimento foi feita:

South e seus colegas recrutaram 30 crianças diagnosticadas com autismo e 29 sem para participar do experimento.
Após visualizar uma pista como um cartão amarelo, os participantes receberam um sopro inofensivo, mas surpreendente de ar sob o queixo.

No decorrer do teste, as condições foram alteradas de modo que uma cor diferente precedeu o sopro de ar. Os pesquisadores mediram a resposta da pele dos participantes para ver se o seu sistema nervoso percebeu a mudança e sabia o que estava por vir.

“Crianças típicas aprendem rapidamente a antecipar sua reação com base na cor nova, em vez da antiga. É preciso muito mais para as crianças com autismo aprenderem a notar a mudança”, explica South.

A quantidade de tempo necessária para extinguir o medo original foi associada com a gravidade dos sintomas característicos do autismo.

Segundo os pesquisadores, a persistência de temores desnecessários é prejudicial à saúde física. Os níveis elevados de hormônios que nos ajudam em uma luta real podem causar danos ao cérebro e ao corpo se sustentado ao longo do tempo.

A equipe acredita que as famílias que participam de grupos de habilidades sociais e seus alunos podem se beneficiar das novas descobertas.

Esse estudo foi publicado em 24 out 2012 na revista Autism Research. (Reversão atrasada Aprendizagem e Associação com o comportamento repetitivo em Transtornos do Espectro do Autismo)
link: http://onlinelibrary.wiley.com/doi/10.1002/aur.1255/abstract

via  isaude.net: http://migre.me/oclay

Leia mais: sciencedaily.com

Anúncios
Esse post foi publicado em Sem categoria e marcado , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s