Autismo o que sabemos Ate Agora?

Nos últimos cinco anos, o pensamento dos especialistas em autismo mudaram, os mitos têm sido eliminados, os avanços têm sido feitos, a conscientização disparou, e as crianças estão fazendo o tipo de rápido progresso significativo que anteriormente era inimaginável.
Em um par de anos, vamos aprender algo novo, que muda tudo de novo. Mas o que sabemos agora pode mudar a vida de uma criança.
____

1– O autismo está sendo chamado de “epidemia”?
R: Verdade

O “A” palavra é suficiente para sacudir qualquer pai: Quase dois terços dos jovens mães e pais estão preocupados seu filho vai ser diagnosticado com TEA (Transtornos do Espectro Autista), de acordo com uma pesquisa recente do Instituto de Tecnologia da Flórida. Não é de admirar, dadas as taxas de fugitivos. Considerando 1 em 150 crianças foi diagnosticado com alguma forma de autismo, há cinco anos, 1 em 50 crianças está no espectro hoje .
Estas taxas crescentes inspirou Bob Wright, co-fundador da Autism Speaks, a dizer: “Nós temos uma epidemia em nossas mãos …. É imperativo que o governo dos EUA intensifica seu compromisso de ajudar as pessoas que hoje vivem com autismo.” 

2- Autismo só começa após o nascimento. 
Resposta: Falso

Cinqüenta anos atrás, comportamento autista foi atribuído a “mães geladeiras” que eram muito insensíveis para ensinar habilidades sociais de seus filhos. “Agora nós sabemos que há uma série de fatores genéticos e ambientais que provavelmente estão envolvidos”, diz a Dra. Susan Hyman, professor de pediatria na Universidade de Rochester Medical Center e presidente da Academia Americana de Pediatria subcomissão sobre autismo.
Uma possível contribuinte para o aumento do autismo é que as pessoas estão tendo bebês mais tarde. A chance de falhas no gene aumenta à medida que os pais envelhecem- especialmente pais de idade, explica Irva Hertz-Picciotto, epidemiologista ambiental do Instituto MIND, da Universidade da Califórnia, em Davis.
Mas a gravidez tardia explica apenas uma pequena fração do aumento das taxas de autismo. Fatores ambientais podem vir em muitos genes do autismo “on” ou “off”, afirma Hyman.
“Os melhores estudos que temos ate agora apontam para as coisas que os bebês estão expostos no útero, quando o cérebro está se formando”, diz Hertz-Picciotto. Viver em áreas com altos níveis de poluição do ar (como perto de uma auto-estrada), com baixos níveis de ácido fólico, o excesso de peso ou diabetes, e com uma febre alta durante a gravidez todos aumentam ainda mais o risco de uma mulher de ter um filho com autismo.

3- Os bebês podem apresentar sinais de autismo a partir de cerca de 6 meses?
RESPOSTA: Verdade

O autismo é notoriamente difícil de detectar em recém-nascidos, principalmente porque os sintomas podem imitar outras atrasos no desenvolvimento. Mas os pesquisadores vêm-se com algumas bandeiras vermelhas confiáveis.
Entre 6 e 12 meses, os bebês que passam a ter autismo têm menos probabilidade de sorrir e vocalizar com os pais. “Eles não estão em sintonia com as pessoas, mas as coisas,” diz o Dr. Fred Volkmar, diretor do Centro de Estudos da Criança da Universidade de Yale.
Alguns atrasos motor-de habilidade pode ser uma dica ainda mais cedo. “Nós descobrimos que quando crianças de 6 meses foram colocados em suas costas e puxou até uma posição sentada, 1 em 9 que passou a ter autismo deixou a cabeça pender para trás dos seus ombros”, diz Rebecca Landa, diretor do Centro para Autismo e Desordens Relacionadas, no Instituto Kennedy Krieger, em Baltimore.
Nem todos – ou até mais – os bebês que são mesquinho com sorrisos ou tem força pobre no pescoço vão passar a ter autismo. No entanto, os pais devem observar este sinal como possível de atraso e mencioná-lo ao seu pediatra para que ele possa ser mais conscientes dos outros sinais de aviso mais tarde.

4- Se o seu filho mostra sinais em cerca de 18 meses, ele deve ser avaliado?
R: Sim, Verdade.
O autismo não é geralmente formalmente diagnosticada até cerca de 18 meses, quando é claro que comportamento preocupante persiste. A falta de palavras ou gestos comunicativos (como apontando), e comportamentos repetitivos, como os objetos de classificação são bandeiras vermelhas nesta fase. Estas são coisas que o médico do seu filho deve perguntar sobre a checkup de 18 meses, quando a AAP recomenda pediatras telo para todas as crianças para o autismo.
“Quando uma criança tem Chekup positivo, então ele precisa consultar um especialista para uma avaliação”, diz Dr. Geraldine Dawson, professor de psiquiatria da Universidade da Carolina do Norte e do vice-presidente de ciência para a Autism Speaks.
“Quanto mais cedo que os atrasos são identificados, o mais cedo você pode ajudar o seu filho”, diz Landa. A partir de 16 meses, você pode preencher o M-CHAT , uma ferramenta gratuita de triagem aprovado pela AAP. Faça uma consulta com o pediatra se você está preocupado com os resultados.

5- A terapia não pode “reprogramar” o cérebro autista? 
Resposta: Não, Falso.

Especialistas como Dawson e Landa pensar idade 1 a 2 anos é a idade nobre para começar tratamentos de autismo. “Quanto mais jovem o cérebro é, mais mutável que é”, diz Landa. Em suas clínicas com crianças, Landa ensina pais a imitar a forma como os seus filhos brincam, o que pode ajudar a construir circuitos de comunicação no cérebro.
Sessões de parceiros desempenham créditos Karin monte para ajudar sua filha Natalie, que foi marcado como de alto risco para TEA ao 1 ano de idade. “Tudo Natalie queria fazer era tocar a janela. Eu pensei, ‘Como isso vai funcionar?” Mas eu comecei a bater na janela, também “, diz Hill, “De repente, Natalie olhou nos meus olhos e sorriu. Eu senti vontade ate de chorar.”

Trecho da reportagem de Kelley Rei Heyworth , Para Parenting.com créditos CNN-HEALTH
tradução livre e adaptada.

 

 

Anúncios
Esse post foi publicado em Sem categoria. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s